O Teatro é Puro Cinema

O Teatro é puro Cinema

“O teatro abre os parênteses: os actores-reactores imaginam todo um filme. Criam uma janela que é a de um avião, porque o teatro voa. Com ele o tempo voa e faz-nos voar. Alto. Ao mesmo tempo, dentro de um avião, os passageiros assistem a um filme catástrofe e inventam logo a seguir outro. E o avião cai sobre o teatro em plena representação. Morre toda a gente. Na autópsia abre-se um crânio como quem abre uma caixa de Pandora e fecha-se o parêntese.” Alvaro García de Zúñiga, Abril 1999


Reposição em Abril 2020, pela Companhia de Teatro da Rainha, com: Fábio Costa, Fernando Mora Ramos e José Luís Ferreira.

Filmes: Elsa Loff

Som: Eduardo Raon

Dramaturgia: Teresa Albuquerque

O Teatro é puro Cinema

Estreado no TNDM II em Abril de 1999 com João Cabral, Fernán García de Zúñiga e Sérgio Praia sobre cena e Ana Zanatti, Fernando Lopes, Fernando MascarenhasMaria João Seixas e Miguel Azguime na tela.


Cenografia e figurinos de João Louro

Vídeos e coreografia de João Tabarra

Canções de Alvaro García de Zúñiga com as vozes de Ana Zanatti, Alínea B. Issilva, Fernando Lopes, Fernando MascarenhasMaria João SeixasMiguel Azguime


Som Miso Estúdio.


ver Fotos da peça